Publicado por: Ricardo Shimosakai | 29/10/2011

Natação Paraolímpica. Diferentes estilos para diferentes tipos de deficiência.


A natação está presente no programa oficial de competições desde a primeira Paraolimpíada, em Roma (1960). Homens e mulheres sempre estiveram nas piscinas em busca de medalhas. O Brasil começou a brilhar em Stoke Mandeville (1984), quando conquistou um ouro, cinco pratas e um bronze. Nos Jogos Paraolímpicos de Seul (1988) e nos de Atlanta (1996), os atletas trouxeram um ouro, uma prata e sete bronzes. Em Barcelona (1992), a natação ganhou três bronzes.

Os Jogos de Sydney foram marcados pelo excelente desempenho da natação, que trouxe um ouro, seis pratas e quatro bronzes para o Brasil. Em Atenas, foram sete medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze. Em Pequim o Brasil bateu o recorde de medalhas conquistadas em uma única edição dos Jogos Paraolímpicos com um total de 19 medalhas ao todo, com oito medalhas de ouro, sete de prata e quatro de bronze. No Parapan do Rio de Janeiro (2007) o Brasil ficou em segundo lugar geral da modalidade, perdendo para o Canadá, mas ficando na frente dos Estados Unidos. Foram 39 medalhas de ouro, 30 de prata e 29 de bronze. Além da quebra do recorde, o Brasil também comemorou as primeiras medalhas femininas na natação paraolímpica, todas de bronze: Fabiana Sugimori nos 50 m livre S11, Edênia Garcia nos 50 m livre S4 e Verônica Almeida nos 50 m borboleta S7.

O Brasil possui mais medalhistas de destaque internacional na natação. Clodoaldo Silva conquistou nas Paraolimpíadas de Atenas em 2004, seis medalhas de ouro e uma de prata, além de quatro recordes mundiais. Em Pequim 2008, os destaques foram André Brasil com 5 medalhas sendo 4 de ouro e Daniel Dias com 9 medalhas, sendo 4 de ouro, 4 de prata e uma de bronze.

Na natação, competem atletas com diversos tipos de deficiência (física e visual) em provas como dos 50m aos 400m no estilo livre, dos 50m aos 100m nos estilos peito, costas e borboleta. O medley é disputado em provas de 150m e 200m. As provas são divididas na categoria masculino e feminino, seguindo as regras do IPC Swimming, órgão responsável pela natação no Comitê Paraolímpico Internacional.

As adaptações são feitas nas largadas, viradas e chegadas. Os nadadores cegos recebem um aviso do tapper, por meio de um bastão com ponta de espuma quando estão se aproximando das bordas. A largada também pode ser feita na água, no caso de atletas de classes mais baixas, que não conseguem sair do bloco. As baterias são separadas de acordo com o grau e o tipo de deficiência. No Brasil, a modalidade é administrada pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Classificação

O atleta é submetido à equipe de classificação, que procederá a análise de resíduos musculares por meio de testes de força muscular; mobilidade articular e testes motores (realizados dentro da água). Vale a regra de que quanto maior a deficiência, menor o número da classe. As classes sempre começam com a letra S (swimming) e o atleta pode ter classificações diferentes para o nado peito (SB) e o medley (SM).

  • S1 a S10 / SB1 a SB9 / SM1 a SM10 – nadadores com limitações físico-motoras.
  • S11, SB11, SM11 S12, SB12, SM12 S13, SB13, SM13 – nadadores com deficiência visual (a classificação neste caso é a mesma do judô e futebol de cinco).
  • S14, SB14, SM14 – nadadores com deficiência mental.

Fonte: CPB

About these ads

Responses

  1. muito bom…
    bem hj após um acidente de moto sou deficiente fisico e faço nataçao a 2 anos após meu ascidente, gostaria de saber como faço para me inscrever em competições onde elas ocorrem e em qual categoria eu me adequo.

    • Procure um clube paradesportivo na sua cidade ou na sua região. Deste modo, eles lhe darão melhores orientações, e você pode representá-los nas competições. A classe em que você irá competir, é oficialmente feita por classificadores autorizados, que geralmente vão às competições.

  2. como esta o brasil nas paraolimpiadas , esta bem representado, qual é real situação ?

    • A natação é uma das modalidades que mais trazem medalhas nas Paraolimpíadas. Temos nadadores de destaque, tanto no feminino quanto no masculino. Mesmo com essa situação destacada, o paradesporto ainda é pouco incentivado

  3. Boa tarde meu nome é Edno sou deficiente físico moro em guarulhos e a um bom tempo estou procurando um esporte adpitado pra praticar mas ñ encontro se alguém puder me ajudar agradeço. meu i-mail. (edno.odilon@bol.com.br)

    • Olá Edno, entre em contato com o Centro de Atendimento à Pessoa Deficiente – CAPD – Guarulhos. R. das Palmeiras, 865 – Jardim Gopouva. Fone: 11 2472-5485 | 2472-5493

  4. eu estou fazendo uma pesquisa escolar e eu gostei muito do que estava falando a minha professora tambem gostou e acAbei tirando uma nota otima !

    • Que bom, e obrigado por escrever sobre isto! Tomara que se interesse ainda mais pelo assunto. Você pode ter sucesso na sua carreira, e não só no seu trabalho escolar.

  5. Boa noite tive uma lesão medular,nado tenho 48 anos gostaria de saber aonde existe clubes aqui em BrasiliaDF q treina pessoas com esta idade para competição?

  6. Ricardo bom dia, estou fazendo um trabalho de faculdade sobre esportes adaptados para deficientes e meu tema é natação, quero abordar a situação que hj no Brasil as pessoas ainda tem um certo “medo” de que tudo não pode, que um deficiente não é capaz.
    gostaria que desce sua opinião para que eu poça deixar arquivado no trabalho, vi que vc é um profissional bem qualificado e gostei de suas respostas gostaria de transmitir a sua postura para os alunos de educação Física.
    Agradeço Arian

    • Olá Arian,
      Você quer uma opinião? Assim fica meio vago. Eu elaborei um livro digital chamado “Acessibilidade e inclusão no turismo”, um DVD com artigos, fotos, leis, vídeos, normas, trabalhos, apresentações, reportagens e diversos outros materiais sobre o assunto. Se quiser adquiri-lo, veja mais informações no link a seguir. Nesse material muitas de suas dúvidas já podem ter uma resposta, mas se mesmo assim elas persistirem, pode entrar em contato comigo que eu lhe orientarei. Tem diversos materiais relacionados à acessibilidade, pessoa com deficiência e também do paradesporto.

      http://turismoadaptado.wordpress.com/2010/07/08/livro-digital-%E2%80%9Cacessibilidade-e-inclusao-no-turismo%E2%80%9D/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 17.473 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: