Publicado por: Ricardo Shimosakai | 04/10/2010

Censo 2010 vai levantar o número de pessoas com deficiência


Em 2000, o Brasil tinha 14,5% da população com algum tipo de deficiência mental, auditiva, visual ou motora. No Censo 2010, as perguntas sobre o tema vão captar o grau de limitação das pessoas na realização de atividades causado por algumas deficiências. “As informações sobre pessoas com deficiência têm sido relevantes para a formulação de políticas públicas voltadas à inclusão social e para que elas tenham as mesmas oportunidades que as demais.”, informa Alicia Bercovich, coordenadora do Comitê do Censo Demográfi co (IBGE).

A investigação do tema passou a ser obrigatória nos censos nacionais desde a promulgação da Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. “Como não é possível pesquisar todos os tipos de deficiência existentes no Brasil, a solução é fazer uma seleção de alguns domínios que são considerados relevantes no contexto brasileiro”, explica a coordenadora.

Para definir o melhor modo de elaborar as perguntas desse quesito no Censo 2010, foram realizados testes cognitivos e provas piloto com a participação dos países do MERCOSUL. Os testes aconteceram na fronteira entre Paraguai, Argentina e Brasil, e também contaram com o apoio dos demais países da América do Sul e México. No âmbito governamental, o IBGE trabalhou em parceria com a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência – CORDE.

Perguntas vão focar cada morador do domicílio

Ao responderem o questionário, os entrevistados irão informar se cada morador do domicílio tem dificuldade permanente de enxergar, de ouvir e de caminhar ou subir degraus, bem como o grau de dificuldade em cada item. Dessa forma, será possível verificar o nível de severidade da deficiência apresentada por cada morador.

“Queríamos isolar a total impossibilidade de ouvir ou enxergar, por exemplo. Escolhemos estágios para facilitar a classificação e evitar que pessoas se encaixem de forma errada. Indicar o grau de severidade ajuda a pessoa que está com dúvidas. Nós sabemos que o limite entre uma e outra alternativa é subjetivo e tênue, mas é uma forma de tentar distinguir melhor esses grupos”, explica Alicia. Entretanto, caso o morador use óculos, aparelho auditivo ou equipamentos que auxiliem na locomoção (prótese, bengala ou aparelho auxiliar), o entrevistado deverá fazer a avaliação considerando o desempenho da pessoa quando utiliza esses equipamentos. “Se ela usa óculos e enxerga bem, ela não tem limitação”, esclarece Alicia.

O bloco de questões também contém uma pergunta sobre deficiência mental ou intelectual. Nesse caso, será preciso marcar apenas sim ou não para cada morador. Para que seja caracterizada como tal, é necessário que a deficiência seja permanente e que limite atividades habituais, como trabalhar ou estudar.

Sobre o cuidado na elaboração das perguntas, Alicia diz que “uma coisa é o que se quer mensurar e outra é como perguntar”. Pensando nisso, os recenseadores do Censo 2010 vão solicitar ao informante do domicílio que ele responda as perguntas sobre deficiência de um morador por forma de evitar falsas respostas negativas ou positivas, explica segundo ela, outro aspecto relevante é o conceito utilizado questão a ser investigada:

“O conceito influi no percentual de pessoas com encontradas na população. Como nós utilizamos o conceito de limitação de atividades, o nosso número é maior do o encontrado em alguns países. Se pegássemos somente nível máximo de severidade, também teríamos um percentual menor de pessoas com deficiência”, explica a pesquisadora.

Porém, no último Censo do IBGE em 2000, as pessoas com deficiência não puderam ser recenseadas com a devida precisão, pois a pesquisa foi realizada por amostragem a cada 10 residências e não por um número real.

fonte: http://www.censo2010.ibge.gov.br


Respostas

  1. Olá…

    Não entendi! O governo Federal resolveu fazer um novo Censo, corrigir o erro? Sim, pois o Censo que respondi há alguns meses atrás não constou pergunta alguma sobre pessoa com deficiência.

    O Censo continua sendo por amostragem!

    Acorda Brasil!

    • Várias pessoas com deficiência comentaram isso. Uma amiga cadeirante de Santa Catarina, quando foi visitada pelo Censo, questionou se não seriam feitas perguntas a respeido da deficiência, e o agente disse que só estava autorizado a fazer as perguntas contidas no questionário enviado a ele. Então esse texto, não corresponde à realidade.

  2. Acabei de escutar na “voz do Brasil” que o Inmetro fará pesquisas de qualidade das cadeiras de rodas, bem como, cadeiras higiênicas que a gente usa… Agora, a cadeira de rodas somente será liberada para a venda com o selo do Inmetro. Vou no site do Inmetro olhar! 🙂

    • Cadeira de Rodas é um produto, e precisa ter qualidade, ainda mais sendo um material essencial para locomoção, e a falta da qualidade pode acarretar em problemas de saúde. Por falta de qualidade no produto e também no serviço, foi que uma grande fábrica brasileira de cadeira de rodas fechou. Se achar essa informação, depois nos envie. Abraços


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: