Publicado por: Ricardo Shimosakai | 19/01/2011

Hotéis terão que se adaptar às normas de acessibilidade até janeiro de 2011


Toda a rede hoteleira do Brasil precisará apresentar um projeto completo de adaptação às normas de acessibilidade, e o prazo era até o dia 15 de janeiro de 2011. A Lei nº 10.098/00 estabelece regras gerais para promover o melhor acesso a locais e serviços por parte de pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida. Em relação aos hotéis, a preocupação vai desde o acesso ao prédio, altura dos balcões, passando por espaço nos quatros, mobiliário e sinalização.

Em Chapecó, 13 hotéis se reuniram em dezembro de 2010, com o promotor de justiça curador da cidadania da Comarca de Chapecó, Marcelo Gomes da Silva, para definir as ações necessárias para que a rede hoteleira do município consiga se adaptar. Segundo Silva, “o objetivo da Promotoria de Justiça é que os estabelecimentos saiam de uma situação irregular e possam, bem em breve, receber dignamente as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida”, considera.

No Eston Hotel, em Chapecó, o responsável pelo setor financeiro, Gustavo Giacomazzi Gisi, revela que mesmo que o estabelecimento consiga se adaptar às normas, a transformação não será fácil. “Tentaremos atender a totalidade da nova Lei, mas existem pontos difíceis de serem atendidos. Se for o caso, entraremos em contato com a promotoria novamente para tentar negociar”, destaca. Gustavo diz que o hotel já possui algumas adaptações, como a altura dos botões dos elevadores, rampa e largura dos corredores.

Para o funcionário, alguns hotéis de Chapecó não conseguirão cumprir a Lei. “A maioria dos hotéis de Chapecó são antigos, e muitos deles não têm recursos para efetuar reformas tão amplas”, considera. Por enquanto, os estabelecimentos estão em fase de planejamento e, no Eston Hoptel, ainda não há previsão de investimento.

Há 11 anos em Chapecó, O Hotel Lang Palace já possui algumas exigências atendidas, porém, segundo a gerente geral Daniela Lang, “o Hotel está em reforma e, em breve, passará por transformações que vão atender, inclusive, às normas de acessibilidade”, destaca. Segundo ela, a nova Lei possui especificidades que serão difíceis de serem implantadas a princípio, porém, de maneira geral, é possível promover as adaptações. “Já possuímos 2% dos apartamentos adaptados, como prevê a Lei, e nosso corredores, além do acesso ao hotel, são preparados para a circulação de cadeiras de rodas. Logo nossa recepção estará renovada e nossas salas de eventos terão banheiros adaptados também”, explica a gerente.

Segundo Daniela, o Hotel fará o que for necessário para se adaptar à norma, porém, são poucos os hóspedes que necessitam de estrutura e serviços especiais. “A procura ainda é muito baixa. Em 11 anos, lembro de três ou quatro hóspedes com necessidades especiais”, conta.

Tipos de barreiras

Existem diversas barreiras que podem dificultar a vida de possui alguma deficiência ou mobilidade reduzida por tempo indeterminado ou não. As barreiras físicas são aquelas que impedem as pessoas com deficiência de acessarem um determinado locla, como escadas, portas estreitas, elevadores sem controles em Braille, portas automáticas sem sinalização visual para deficientes auditivos entre outras. Já as barreiras sistêmicas são relacionadas a políticas formais e informais, por exemplo, escolas que não oferecem apoio em sala de aula para alunos com deficiência ou bancos que não disponibilizam de tratamento adequado para tais pessoas. As barreiras atitudinais nada mais são do que o preconceito, estigmas e estereótipos criados sobre pessoas com deficiência, como a discriminação.

Fonte: Grupo Chapeco


Respostas

  1. http://guiaderodas.com.br/

  2. oi…material importantissimo para meu tcc…valeu

  3. Bom dia Ricardo,

    Sou da Belgica e em fase de construir uma pequena pousada de 10 habitacoes no Nordeste. A poussada tem previsto uma habitacao com acessibilidade (10%). Temos tambem um restaurante no primer andar e no terreo para dar acesso a tudas pessoas. Porem, nao temos orcamento nem espaco para construir elevador para aceso no restaurante no primer andar. Gostaria de saber se isso e um problema para a ley ?

    Gostaria também de saber cual são os requerimentos legais para a construccao de uma piscina em quanto as obligacoes de acessibilidade. O único que procurei no internet as regrais bem gerais para todos os lugares do hotel e não são especificos para uma piscina.

    Obrigado pela seu ajuda,
    Anthony

    • Olá Anthony,
      Depende de como será o funcionamento desses restaurante. Se pelo menos o restaurante térreo funcionar para servir o café da manhã e as refeições, o problema diminui. Mas a acessibilidade não é somente restaurante e piscina. Se quiser, podemos prestar uma consultoria para você ter uma hospedagem realmente acessível

  4. Prezado Sr. Ricardo

    Benedicite,

    Gostaria de maiores informações relacionada as adaptações que si fazem necessária nos Hoteis é Pousadas (acessibiidade), dicas e projetos, Gerencio a Pousada Devaneios em Goyanna PE e PRECISAMOS nos enquadra.
    Aguardando o defirimento de nossa,

    Atenciosamente,

    Basilio Augusto de Araujo.

    • Olá Basilio,
      A Turismo Adaptado também presta consultoria, possuindo inclusive um programa de acessibilidade específico para a acessiilidade na hotelaria, onde é vista a questão da acessibilidade física e atitudinal, com a capacitação de seus funcionários. Você também pode aplicar os módulos separadamente de acordo com sua necessidade. Mais informações, entre em contato através do email ricardo@turismoadaptado.com.br

  5. Por favor sera que poderiam alguém me responder sobre a deficiência auditiva nas redes hoteleira, como é atendido um hóspede com esta deficiência, tem gente qualificado para atende-los? Por favor meu tcc do PÓS GRADUAÇÃO EM EVENTOS E HOTELARIA é sobre este assunto: UMA VOZ DIFERENTE NA HOTELARIA. me respondam por favor tenho dúvidas sobre algumas coisas.
    Obrigada
    Morgana Mendieta

  6. Essa semana estive hospedada no Hotel Candeias de Guaratuba-PR. Ao realizar a reserva do apartamento a 2 meses atrás fui informada que os 2 apartamentos com banheiro mais amplo e adaptado já estavam reservados. Mesmo assim, reservei outro quarto, mesmo sabendo da dificuldade que teria, pois sou cadeirante. Para minha surpresa (e bem desagradável) é que os quartos haviam sido disponibilizados para pessoas não cadeirantes e sem nenhuma necessidade especial. Gostaria de saber como faço para realizar reclamação, pois eles tem os quartos com adaptação para cumprir a legislação, mas os cadeirantes não conseguem ficar neles, pois sempre estão ocupados por hóspedes “normais”.

    • Olá Mariceli,
      As vezes uma conversa com o proprietário do hotel pode resolver alguma coisa, mas é difícil. Se quiser me passar mais informações, posso pelo menos cuidar com ele para que isso não aconteça mais novamente. Para reparar a sua insatisfação, pode procurar o PROCON ou o Juizado de Pequenas Causas. Certa vez me senti muito injustiçado com a CVC e procurei o Juizado. Você tem orientações e acompanhamente sem custo.

  7. É inacreditável! Os hotéis precisam de normas e leis pra fazer o que deveria ser uma rotina, ou seja, receber bem e adequadamente qualquer hóspede, seja ele deficiente ou não. É o básico! E deveria ser simples assim!!!

    • Na verdade as leis existem, o problema é que não há uma fiscalização e consequentemente não gera uma penalidade. Além disso a hotelaria brasileira ainda não visualizou isso como uma oportunidade de mercado, ao invés dos Estados Unidos que faturam mais de 4,2 bilhões de dólares por ano

  8. Olá Ricardo,
    Bom Ano Novo !
    Continuamos na luta pela acessibilidade, mas unidos vamos conseguir
    Este assunto de Acessibilidade na rede Hoteleira, já ta um absurdo , este povo
    precisa TOMAR conciencia , deficiente como qualquer pessoa TEM direito a viajar tanto a
    lazer como a negocios e estudo , mas vai dormir aonde se NÃO existe ACESSIBILIDADE
    nos hoteis.me ajuda , o que você tem mais deste assunto em Chapecó .

    Grande abraço , no seu aguardo

    Carlos Perl
    Conselheiro do Conselho Estadual dos Assuntos da Pessoa com Deficiencia de São Paulo

    • Olá Carlos,
      Especificamente deste assunto em Chapeco, só tenho essa matéria que vi no site indicado como fonte, e resolvi replicar no Portal Turismo Adaptado. Apesar de ser um fato ocorrido em Chapeco, se trata de um assunto de abrangência nacional


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: