Publicado por: Ricardo Shimosakai | 25/01/2011

Valinhos ganha o primeiro bar aprovado por pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção


Acessibilidade é fato, mas não é direito. Pelo menos na grande maioria dos bares de Campinas e região. Pois não é que Valinhos ganhou seu primeiro bar e restaurante totalmente acessível às pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção? Reparem bem: totalmente acessível! Muitas vezes, quando há acessibilidade, ela não é total: se tem rampas, não tem banheiro acessível; se tem rampas e banheiros acessíveis, não tem espaço entre as meses para circular uma cadeira de rodas. E se tem tudo isso (rampas, banheiro adaptado e espaço entre as mesas), não tem uma equipe de profissionais que saiba lidar com esse público com deficiência. O Dot Gourmet tem estas duas vertentes de acessibilidade: arquitetônica e atitudinal.

O bar e restaurante fica no centro de Valinhos e abre para almoço e à noite. O cardápio refinado, tendo como foco o alimentos saudáveis e saborosos, traz opções diferenciadas como o wrap e o cruditées (legumes crus em formato de palito, para aperitivar). Outra novidade saborosa e barata é a polenta grelhada, que vem com aroma de churrasco. Um lugar que merece destaque, sobretudo pela sua acessibilidade.

Daniela Garcia Ventura, de 32 anos, que, ao lado do marido Oderly José Ventura, comanda o Dot, garante que fez as adaptações no bar preocupada, realmente, com o conforto das pessoas com deficiência e não para cumprir a legislação. “Na verdade, nem sabia que existia essa lei”, confessa Daniela.

A lei em questão é o Decreto Federal 5.296, de 2004, que, em linhas gerais, obriga todo e qualquer local de uso coletivo ser acessível às pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção. Todos os prazos para que cumprissem os preceitos ditados nesta lei já expiraram. Portanto, o estabelecimento de uso coletivo — seja público ou privado — que não estiver em conformidade com o referido decreto, pode ter representação judicial, por meio de denúncia no Ministério Público.

“Nossa preocupação é ser um espaço para todos. Eu tive uma vivência bem próxima com a limitação física quando o Oderly sofreu um acidente e precisou ficar engessado. Ele ficou quatro meses na cadeira de rodas. Quando a gente sente na pele essa dificuldade, é mais fácil atentar para isso”, conta Daniela. Mas ela diz que sua convivência com a diversidade já vem da infância: Meus pais são vicentinos há muitos anos, minha irmã já trabalhou com pessoas cegas e eu cresci com essa tendência de enxergar todas as pessoas”. Ela conclui: “Por isso, não foi nada difícil tornar esse espaço aqui acessível.”

Equipe nota 10
Além das questões arquitetônicas, o Dot Gurmet tem um equipe nota 10, com funcionários em perfeita harmonia com a palavra de ordem do momento: inclusão social.

O garçom Nivaldo José Antonio e o barman Marcos Monteiro já estão acostumados a empurrar cadeiras de roda, auxiliar as pessoas com dificuldade de locomoção a subir a pequena rampa da entrada do bar e a ter paciência para que, quando estão em grupo, todos os cadeirantes se ajeitem na mesa (quem convive com estas situações sabe que, ao se juntar mais de duas pessoas em cadeira de roda, há uma ligeira confusão na hora de se acomodar em lugares cheios de gente).

Inclusão efetiva
O Dot Gourmet realiza uma inclusão social efetiva das pessoas com deficiência. Além de proporcionar conforto aos seus frequentadores digamos, “diferentes”, o bar e restaurante vai além: contratou um chef de cozinha que tem uma deficiência. É o jovem Tarsis Eduardo Prates, de 26 anos. Por causa de um tombo, em 2007, ele adquiriu uma deficiência física: o encurtamento da perna esquerda em consequência de necrose da cabeça do fêmur.

Daniela Ventura jura que é pura coincidência. “Quando estávamos procurando alguém para gerenciar a parte gastronômica, fui apresentada a dois candidatos. Realmente, gostei mais do Tarsis”, garante.

O chef, nascido em Campinas, é graduado em gastronomia pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, de Itu, e pretende fazer pós-graduação na Espanha. “Estou em contato com o consulado espanhol para tentar conseguir uma bolsa de estudos”, conta, afirmando que a cozinha espanhola é tão boa quanto a francesa, que é mais famosa. “Todo mundo quer ir para a França. Lá, o mercado já está saturado. Então, resolvi ir para a Espanha. A culinária espanhola é muito boa e muito bem absorvida no Brasil.”

Dot Gourmet
Rua Abolição, 535 – Valinhos/SP
Telefone: (19) 3327-6180
www.dotgourmet.com.br
terças e quartas, das 11h30 às 15h, e das 19h às 22h
quintas e sextas, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h
sábados, das 11h30 às 16h e das 19h às 23h
domingos, das 11h30 às 16h e das 19h às 22h

Fonte: Deficiente Ciente


Respostas

  1. Adorei esse lugar…..mesmo sem conhecer, como moro perto de Valinhos, não vejo a hora de poder levar minha filha que é cadeirante lá.
    Muito bom o artigo Ricardo…Parabéns mais uma vez.

    • Olá Ana, também quero conhecer esse restaurante em breve. Quero começar a fazer um levantamento mais amplo da acessibilidade nos bares e restaurantes, e adequar os ítens faltantes. Beijos


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: