Publicado por: Ricardo Shimosakai | 20/11/2013

Projetos de candidatas a subsede da Copa ignoram acessibilidade


O aposentado Francisco Tarifa enfrenta dificuldade na calçada do Estádio Anacleto CampanellaO aposentado Francisco Tarifa enfrenta dificuldade na calçada do Estádio Anacleto Campanella

Os municípios de São Bernardo e São Caetano estão na lista preliminar das candidatas a subsede da Copa do Mundo de 2014. Apesar dos investimentos em infraestrutura, hotelaria, turismo e gastronomia que as cidades vêm fazendo, um item muito importante para eventos deste porte ficou de fora das prioridades. A acessibilidade na região está distante do chamado “padrão Fifa”.

A prefeitura de São Bernardo disse, por meio de nota, que segue a Lei Nacional de Acessibilidade e que o alvará de funcionamento de qualquer estabelecimento no município depende, obrigatoriamente, de atender às exigências quanto à acessibilidade. Já a prefeitura de São Caetano disse não ter projetos específicos para a questão da acessibilidade por causa da Copa de 2014.

As duas cidades do ABC disputam com outros 13 municípios paulistas o direito de receber e hospedar as seleções que vão disputar o torneio em São Paulo. Na região metropolitana, também estão no páreo Barueri e Mogi das Cruzes. Cada equipe mundial decide por sua subsede a partir de uma lista oferecida pela Fifa, mas o mínimo que local deve oferecer é um centro de treinamento adequado.

Tanto o estádio 1º de Maio, em São Bernardo, quanto o Anacleto Campanella, em São Caetano, têm planos para reformas. Segundo a prefeitura de São Bernardo, as obras devem começar ainda este ano. Em São Caetano, o custo da reforma gira em torno de R$ 6 milhões, visando melhorias nas instalações dos vestiários, criação de sala de imprensa e zona mista. Além disso, as prefeituras afirmam estar realizando investimentos em infraestrutura e mobilidade urbana.

A prefeitura de São Bernardo também informou que a adequação da acessibilidade nas calçadas tem sido uma das preocupações, não só voltada aos cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida, mas para pedestres em geral. 

Em relação ao transporte público municipal, São Caetano conta com 51 ônibus, sendo 38 adaptados a deficientes físicos. A frota de São Bernardo possui 388 veículos, 290 deles adaptados, o que corresponde a 75% do total. A prefeitura afirma que todos os novos veículos já são produzidos com acessibilidade universal, por ser essa uma exigência legal.

VERBA FEDERAL

Segundo definição da administração federal, acessibilidade significa permitir que pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida participem de atividades que incluam o uso de produtos, serviços e informação, além de permitir a utilização destes por todas as parcelas da população, o que é garantido pela lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. As normas de acessibilidade foram estabelecidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) por meio da NR 9050.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam que o Brasil tem hoje 45,6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, 23,9% da população total do país, sendo 9,3 milhões em São Paulo, o que corresponde a 22,66% da população do Estado. Com relação ao número de idosos, ainda segundo o órgão, a população acima de 65 anos é de 14,9 milhões ou 7,4% do total de brasileiros.

São Caetano foi o único município a aderir ao programa Viver sem Limite, do Governo Federal. O plano torna a acessibilidade indispensável para obras realizadas pelo PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento)  e para a Copa do Mundo de 2014. A ideia é que a União invista até R$ 7,6 bilhões nos quatro eixos básicos: educação, saúde, inclusão social e acessibilidade. Mesmo assim, as prefeituras não têm previsão para o uso da verba federal.

Outra iniciativa do governo é o programa Turismo Acessível, que visa o incentivo às adaptações necessárias para a recepção de deficientes, garantindo-lhes autonomia e mobilidade. Em agosto de 2009, a Fifa convocou membros do COL (Comitê Organizador Local) e arquitetos responsáveis pelo projeto dos estádios para apresentarem as diretrizes arquitetônicas dos estádios, que incluíam orientações sobre acessibilidade. Segundo a entidade, os estádios da competição devem ser totalmente acessíveis.

Os investimentos direcionados à Copa já somam R$ 28,1 bilhões, dos quais R$ 8,9 bilhões foram destinados à mobilidade urbana, R$ 200 milhões para o turismo e R$ 1,9 bilhão para estruturas, equipamentos e capacitação em segurança, entre outros. O ranking de investimentos por Estado é liderado por São Paulo, com intervenções que correspondem a R$ 563,7 milhões. Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S.Paulo, no mês de agosto, o ministro do Turismo, Gastão Vieira, afirmou que o dinheiro para investimentos está à disposição de todos os municípios até junho de 2014, quando será recolhido, voltando aos cofres do Tesouro Nacional. “Basta ao prefeito resolver pendências na Caixa, e o dinheiro estará liberado”, disse o ministro.

A previsão da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo) é que o Brasil receba 600 mil  turistas estrangeiros no Brasil na Copa do Mundo de 2014. A movimentação de brasileiros dentro do território nacional será significativa, estimada em três milhões. A cidade de São Paulo deve receber 594,9 mil turistas, tanto para acompanhar os jogos realizados na cidade quanto para acompanhar as seleções alojadas na cidade e nos municípios vizinhos.

Fonte: Universidade Metodista de São Paulo

Anúncios

Responses

  1. Achei seu comentário um tanto agressivo, principalmente por me mandar estudar sobre o assunto, percebo que você é mais um como o Pelé. Você tapa o sol sim, não deixa que a luz da honestidade e da necessidade de milhões de deficientes desse país se beneficiem, por conta de desmandos político-administrativos e roubalheiras. Suas fontes de informação Secopa e etc, fazem parte do contexto do COB e outros que só pensam em roubar, de tal forma que a Dilma afastou os dirigentes do Rio por esse motivo. Você tem uma coisa que não gosto, fica agressivo com o contraditório, como todos os que bajulam futebol. Isso é fanatismo

    • Não há fanatismo nenhum. Estudar, ou seja, querer saber mais a respeito é algo nobre. Eu estudo diariamente, pois não sei de tudo. Fique a vontade com sua posição. No meu modo de ver, você ainda continua reclamando, mas não toma atitude, infelizmente. Não é reclamando para mim que você conseguirá resolver a situação. Isso me parece mais um desabafo. Comparar a Pelé é uma honra, obrigado.

      • Você diz que estuda, seus relatos dizem o contrário, mesmo porque não sabes nada de mim. O fato de ser nissei não o gabarita à ser estudioso, és entretanto, prepotente. Minhas atitudes dizem respeito à uma situação desprezada nesse país, pelas autoridades e por você, que é os deficientes em geral, reclamar e protestar é o que falta nessa sua geração alienada. Sou um homem de 65 anos com um filho com uma séria patologia e não tenha mais tempo para ficar discutindo com um garoto que se sente honrado em ser comparado a Pelé, Reclamo tal qual minha esposa que fez contato com você por telefone e está até hoje esperando sua resposta, você está imbuído em defender a Copa, talvez como Pelé, esteja ganhando alguns trocados! Eu agradeço a oportunidade de me manifestar. Obrigado

  2. Acessibilidade no Brasil é uma piada! Todo brasileiro com um pouco de vergonha na cara abominará essa copa, afinal um país que falta tudo não poderia se dar ao luxo de bancar o que não tem. A copa da Inglaterra foi um fiasco e deu um prejuízo enorme, com exigência de apenas oito estádios, na África com 12 o prejuízo foi maior e aqui será incomensurável, pois só fazem eventos nesse país para roubar mais, como disseram os estúpidos jogadores Ronaldo Gordo e Pele, um disse que não se faz copa com hospitais (Gordo) e o Pele: É claro que vão roubar, mas no fim da lucro!!! Pô, que estão esperando, escadas rolante, banheiros adaptados, rsrsrs, vejam as ruas de nossas cidades, lembrem-se estão usando as mesmas mentiras que usaram no Pan do Rio e vejam lá o que restou: contas para o povo pagar!!

    • A Copa do Mundo em si, é um evento que pode trazer muitos benefícios ao país que a sedia. Se não fosse assim, ela não seria tão disputada. O problema é como administrar esse evento. Dessa oportunidade, pode se fazer um grande crescimento, ou uma brecha somente para ganhar dinheiro e prestígio.

      • Amigo Ricardo, se você mesmo já diz que o problema é administrar esse evento, não tape o sol com a peneira, o Pan-americano também é disputado, porém, por detrás estão sempre os lobos da corrupção. Como já disse Pelé: Deixem de contestar a Copa, é claro que haverá roubos, mas no final tudo dará certo! – você concorda com isso? Olha amigo Ricardo, tenho visto que você, tal qual a Mara Gabrilli, são pessoas exponenciais no universo da acessibilidade, porém não detêm uma patologia progressiva degenerativa como a do meu garoto Kleber com 12 anos, diagnóstico DMC, que nunca andou e nem adquiriu por efeitos externos, vocês são sabedores que os laboratórios e pesquisadores direcionam todos os estudos (no mundo) para os resultados que poderão gerar maiores lucros, que a lesão medular. O tempo para nós se faz com recursos para as pesquisas (15 milhões esse ano) e não com sediar Copa (56 bilhões) ou Olimpíada, sabe-se lá quanto, e quanto será desviado. Não sejamos hipócritas e vamos encarar a realidade, você pode esperar no tempo, nós e muitos outros não, pois poderão morrer, aliás, estão morrendo desde que foram diagnosticados. Pense nisso e me diga quais os benefícios que a Copa trará ao Brasil e para quem? A África está amargando um prejuízo enorme e anda sem prestígio nenhum! Em Munique o povo, num plebiscito, votou contra a realização as Olimpíadas de Inverno por falta de transparência dos organizadores e do COI, outras cidades europeias estão se manifestando a favor da ação dos alemães, eles Ricardo, que detêm recursos agem assim, quando isso deveria ser a nossa conduta de país pobre e mal acabado.

        • Ninguém tapa sol com a peneira, não entendi a sua mensagem. Não sei a fonte de suas informações, mas você citou somente coisas ruins. Mas há comprovadamente coisas boas que vem para o país sede. Estude melhor sobre o assunto. Muita gente reclama, isso é fácil, mas pouca gente tem atitude. Entre em contato com a Secopa, ou os órgãos organizadores. Dai sim vou dar razão a você, e saber que não está somente reclamando.


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: