Publicado por: Ricardo Shimosakai | 10/02/2014

Turismo investe R$ 98,5 milhões em acessibilidade para a Copa do Mundo 2014


Uma média de 600 lugares reservados para pessoas com deficiência em cada estádio estão previstos.Uma média de 600 lugares reservados para pessoas com deficiência em cada estádio estão previstos.

O Ministério do Turismo está investindo R$ 98,5 milhões em obras de acessibilidade em nove cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O Estado de São Paulo recebe R$ 20 milhões para melhorar a acessibilidade de rotas turísticas. Salvador, R$ 18 milhões para a revitalização da orla do bairro da Barra e acessibilidade em atrativos da região. Para Fortaleza serão 17 milhões em pontos turísticos como Iracema e Mercado Central.

O investimento faz parte da Matriz de Responsabilidades da Copa, um documento que determina valores a serem investidos para o mundial e define o papel dos governos federal, estaduais, municipais e de agentes privados. Estados beneficiados darão uma contrapartida de R$ 10 milhões. “O MTur apoia a acessibilidade e a diversidade do turismo de todos os segmentos. O turismo precisa ser usufruído por todos, sem distinção”, afirma Fabio Mota, secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo.

Estima-se que o Brasil tenha 27 milhões de pessoas com problemas de locomoção, de acordo com o IBGE. Para que elas possam viajar, é necessário que hotéis, aeroportos e cidades ofereçam condições que permitam a mobilidade. Alguns municípios brasileiros se destacam por oferecer hotéis com quartos e banheiros adaptados, restaurantes com cardápios em braile e informações acessíveis a deficientes auditivos e serviços de transporte adaptados. Entre elas, estão Maceió, a capital com o maior percentual de quartos de hotéis adaptados para receber visitantes com mobilidade reduzida, e Socorro, cidade paulista com uma estância hidromineral adaptada para cadeirantes.

Investimentos do Ministério do Turismo e contrapartida dos Estados ou prefeituras:

Belo Horizonte – R$ 3,3 milhões + R$ 264 mil
Cuiabá – R$ 1,37 milhão + R$ 119 mil
Curitiba – R$ 11,54 milhões + R$ 1 milhão
Manaus – R$ 5,2 milhões + R$ 578 mil
Fortaleza – R$ 17 milhões + R$ 4,61 milhões
Natal – R$ 13,3 milhões + R$ 554 mil
São Paulo – R$ 19,5 milhões + R$ 1,69 milhão
Recife – R$ 7 milhões + R$ 368 mil
Salvador – R$ 17,79 milhões + R$ 773 mil

Fonte: Panrotas


Responses

  1. Sem dúvida, é um avanço de ações inclusivas, haver lugares reservados em estádios, teatros, etc. Minha sugestão é que esses lugares sejam distribuídos pela platéia, ao invés de colocarem todos os cadeirantes juntos. E quando vamos com andantes, onde eles se sentam, longe de nós? É estacionamento de cadeiras de rodas?

    • Normas e leis já orientam a distribuição dos espaços para cadeira de rodas e sua intercalação com poltronas. O problema é que muitas vezes elas não são cumpridas corretamente.

  2. […] Fonte: Blog Turismo Adaptado […]

  3. […] Fonte: Blog Turismo Adaptado […]


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: