Publicado por: Ricardo Shimosakai | 18/06/2014

Praia, baleias e mergulho na cidade mais accessível da Argentina


Rampa móvel permite acesso de pessoas com deficiência física ao barco ainda em terraRampa móvel permite acesso de pessoas com deficiência física ao barco ainda em terra

Puerto Madryn é uma cidade marítima da costa do oceano Atlântico, ela fica 1200 km ao sul de Buenos Aires, na província de Chubut na República Argentina e é um paraíso da natureza e da acessibilidade.

Pode se chegar desde Buenos Aires por bus, avião ou cruzeiro na temporada de novembro a abril aqueles que fazem rotas patagônicas. Se você é brasileiro e chega com Aerolineas Argentinas a Buenos Aires pode comprar um bilhete a Trelew por 50U$D a mais, é uma promoção de Aerolíneas Argentinas para conhecer a Patagônia. Tem sete balneários e cinco deles são accessíveis com banheiros, instalações e barracas com 2 ou 4 cadeiras de sol. O caminho para chegar às barracas é accessíveil e feitas com um chão de madeira.

A época de verão é a melhor para fazer mergulho com lobos marinhos, pode ser feito o ano tudo mas a temperatura da água nessa época é melhor. São animais muito curiosos e eles adoram vir e nadar ao lado dos que praticam mergulho ou snorkel. Esta atividade é feita com certificações nacionais e internacionais de mergulho adaptado, as operadoras que o fazem estão identificadas.

A Península de Valdes é mundialmente conhecida por as baleias e os pinguins. As Baleias vêm para ter seus cachorros ao igual que os pinguins. Tem tanto bicho na península que há quadros com os momentos do ano para ver baleias, lobos marinhos de um cabelo, golfinhos, elefantes marinhos, orcas e um sem fim de pássaros patagônicos.

O melhor de tudo nesta historia é que Puerto Madryn e as outras cidades de toda a península estão fazendo um esforço para que tudo seja acessível. No ano 2012 quinze provedores turísticos receberam a certificação do Ministério de Turismo da Nação Argentina com a etiqueta de Diretrizes de Acessibilidade, e outros oito receberam a distinção de Diretrizes de família que tem muito conteúdo de acessibilidade também.

Posicionamento dentro do barco permite uma ótima visualização do passeio além do confortoPuerto Madryn é a primeira cidade na Argentina que pode fechar o circulo do produto turístico inclusivo. Tem transporte acessível, hotel acessível, Praia acessível, parque municipal acessível, e excursões para observação de fauna marina acessível, e gente com cabeça aberta para receber pessoas com qualquer tipo de deficiência e lhes brindar um trato cordial e professional. Tem sempre gente que pergunta, posso ajudar?

Tem gente que há muito tempo atende com pessoas com deficiência, muito antes do que existisse etiqueta de acessibilidade, um deles é Micky Sosa, dono de Peke Sosa http://pekesosa.com.ar/?lang=pt-br . Quem faz um estudo informal de casos, tem observado que sempre que na embarcação tem uma pessoa com deficiência a baleia vem e aparece por esse canto da embarcação. Não há um estudo científico, só seus mais de 25 anos de experiência e observação um dia trás outro.

Nelida Barbeito é uma pessoa com deficiência, que avistou as baleias duas vezes, uma numa manhã perfeita de agosto com o céu azul, muita baleia saindo por todo lado do barco, e também bem perto de onde ela estava. Na embarcação ela era a única pessoa com deficiência, e outra vez numa tarde de agosto sem sorte de avistar baleias de perto porque estavam no processo de procriação.  A melhor hora para navegar é a manha ou o meio dia, e o que é ainda melhor é ficar uns dias em Porto Pirâmides, mas a cidadezinha é muito pequena e pouco accessível.

Dizem que baleias e outros animais marinhos se aproximam do barco, atraídos pelas pessoas com deficiênciaPuerto Madryn é a cidade base para fazer excursões e conhecer Ponta Tombo com os pinguins, Rawson com suas Toninas, da família dos golfinhos, mas eles são brancos e pretos. A Península Valdes com as baleias em Puerto Pirámides, as vezes delfines, e lobos marinos, Punta norte com lobos e as vezes orcas, e o Parque Municipal El Doradillo que é o lugar favorito das baleias para ensinar a seus bebes os segredos do nado e também lhes dar de comer.

E muito bom encontrar numa cidade, traslado accessível para cadeirante desde o aeroporto até a cidade, transporte adaptado para cadeirante para fazer excursões, instalações sanitárias adaptadas cada vez que chegam ao um lugar turístico, passarelas para cadeirantes em lugares inóspitos, feito tudo com muito esforço.

Uma novidade perfeita deste ano foi um barco para passear pela Bahia por 3 horas. No verão e também em inverno, duas saídas diárias, uma pela manhã e outra pela tarde. Nelida foi no verão e teve a sorte de ver muitos golfinhos, alguns deles se alimentando, super emocionante.

Olhar como a Argentina é cada vez mais consciente das necessidades das pessoas com deficiência, talvez não seja algo novo para os brasileiros, mas ter serviços adaptados de Praia e mergulho para os argentinos em nossas praias e ter distintas opções para eleger é simplesmente muito legal.

Então, convido vocês, a temporada de baleias começa em junho e acaba em novembro. Julho e agosto são os meses quando têm mais, elas podem se olear a simples vista desde a Praia em Puerto Madryn e se você tem a sorte de ter uma habitação que olha para o mar pode ver lãs no amanhecer.

Há vários hotéis e restaurantes adaptados, é uma cidade pequena e com bastantes rampas para andar ou rolar, então, não espere para vir a Puerto Madryn, as baleias já vieram!

Fonte: Turismo y Accesibilidad al Medio

Anúncios

Responses

  1. Como Podemos saber como se increver nesta viagem…..


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: