Publicado por: Ricardo Shimosakai | 12/06/2016

Gorila que sabe se comunicar através de sinais dá o seu recado para a humanidade


Koko, gorila treinada pela Dra. Francine Patterson para comunicar certos sinais baseado na Linguagem de Sinais Americana.Koko, gorila treinada pela Dra. Francine Patterson para comunicar certos sinais baseado na Linguagem de Sinais Americana.

Koko, o gorila, é um animal famoso por sua habilidade de se comunicar com seus guardiões usando a linguagem de sinais. O que chamou a atenção do mundo recentemente é que ele está mostrando sinais de que pode ser capaz de aprender a falar.

Alguns sons mais comuns foram aprendidos pelo animal de 44 anos de idade. Isso poderia mudar a percepção de que os seres humanos são os únicos primatas com a capacidade para se comunicar. Koko tem desenvolvido comportamentos vocais e de respiração associados com a capacidade de falar, o que acreditavam que era impossível.

Na década de 1930 e 1940, diversos psicólogos tentaram fazer um experimento com chimpanzés sendo criados junto de crianças humanas. Na época, os cientistas falharam em ensinar os animais a falar. Desde então, tem sido geralmente aceito que os macacos não são capazes de controlar voluntariamente os sons que eles produzem ou mesmo a sua respiração.

Especialistas também acreditam que o repertório vocal de cada espécie de macaco pode ser corrigido e se assemelhar com a fala humana mas isso dependeria da capacidade de aprender novos sons e padrões respiratórios, algo que não foi bem sucedido até hoje. O novo estudo parece contradizer que a fala essencialmente evoluiu na linhagem humana desde o nosso último ancestral comum com os chimpanzés.

Marcus Perlman, um pesquisador pós-doutorado da Universidade de Wisconsin-Madison, começou o trabalho de investigação na Fundação Gorilla em 2010, onde Koko passou mais de 40 anos. O animal vive imerso com os seres humanos e interage durante horas por dia com o psicólogo Penny Patterson e o biólogo Ron Cohn.

Antigamente pensava-se que os seres humanos eram os únicos primatas que aprenderam a falar, copiando a fala dos indivíduos. Agora, cientistas da Universidade de Princeton descobriram que saguis que vivem nas florestas do nordeste do Brasil, tem um comportamento similar.

Os animais adultos normalmente trocam sinais vocais nas copas das árvores e “ensinam” os ruídos para suas crias. Os animais mais jovens parecem ouvir e aprender com seus pais. ‘Eu entrei para a fundação com a ideia de estudar os gestos de Koko e a vi praticar todos estes comportamentos vocais incríveis”, disse Pearlman.

Juntamente com Nathaniel Clark, da Universidade da Califórnia, ele analisou 71 horas de vídeo de Koko interagindo com humanos e encontrou repetidos exemplos de seu incrível comportamentos vocal voluntário. A fala de Koko exigia controle sobre sua vocalização e respiração, algo que parecia impossível.

Estes foram comportamentos aprendidos e não fazem parte do repertório típico de um gorila. Os pesquisadores observaram que Koko disse algo similar a “framboesa”, quando ela queria um aperitivo. O animal também sabe assoar o nariz em um tecido, tocar instrumentos de sopro, limpar um par de óculos antes de usa-lo e imitar conversas telefônicas ao tagarelar sem palavras em um telefone.

‘O animal não produz um som bonito e periódico. Quando Koko executa estes comportamentos ela usa as mesmas características da fala” diz o Dr. Perlman. Koko pode controlar sua laringe para produzir um som controlado.”

O gorila talentoso também pode fingir que está tossindo, algo fácil para os seres humanos mas impressionante para um macaco porque isso exige que o animal feche sua laringe. Koko muitas vezes interpreta seus instrumentos de sopro por diversão, mas ela tende a tossir quando Penny e Ron recebem o comando.

Marcus Perlman, acredita que todos os comportamentos que Koko aprendeu se deve a sua vivência com humanos desde os 6 meses de idade. “Presumivelmente, ela não é mais dotado do que outros gorilas”, disse ele. “A diferença é apenas suas circunstâncias ambientais. Você, obviamente, não vê esse tipo de coisa em populações selvagens.”

“Ela mostra o potencial nas condições ambientais adequadas para macacos para desenvolver um pouco de controle flexível sobre seu trato vocal. Não é tão bom quanto o controle humano, mas é certamente o controle. ”

No ano passado, Koko ficou comovida com a morte de Robin Williams. A notícia da morte prematura de Robin Williams fez com que o animal fosse transferido quase às lágrimas com a notícia de que seu amigo tinha falecido. Em 2001, Williams visitou a fundação e rapidamente fez amizade com Koko, fazendo-a rir pela primeira vez em seis meses.

Koko surpreendeu o mundo com uma mensagem enviada ao COP 21. Em um vídeo, ela diz:

Fonte: Fatores Desconhecidos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: