Publicado por: Ricardo Shimosakai | 19/09/2016

Teatro acessível para pessoas com deficiência. Você apoia?


a-menina-estefany-e-cega-e-acompanhou-uma-peca-de-teatro-pela-primeira-vez-gracas-ao-fone-de-ouvido-com-audiodescricaoA menina Estefany é cega e acompanhou uma peça de teatro pela primeira vez graças ao fone de ouvido com audiodescrição.

“Foi uma das coisas mais legais que já fizemos juntas”. É assim que Daniela Duarty, de Belém do Pará, define a primeira vez em que foi ao teatro com sua filha Estefany, de 11 anos. A menina é cega e ficou encantada ao descobrir que a peça “Ninguém mais vai ser bonzinho”, do grupo “Os Inclusos e os Sisos”, da organização Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, tinha audiodescrição. Desta forma, ela pôde acompanhar o espetáculo, usando um fone de ouvido. Além das temporadas teatrais, a ONG também faz campanha para que 19 de setembro seja instituído como o Dia Nacional do Teatro Acessível. Para fortalecer a mobilização e envolver mais pessoas, Daniela criou um abaixo-assinado na plataforma Change.org pedindo que o Senado aprove o projeto de lei que cria a data comemorativa.

A petição está em www.change.org/TeatroAcessivel.

A acessibilidade é fundamental para que os espetáculos teatrais sejam, de fato, para todas as pessoas. Intérprete de Libras, legendagem, audiodescrição, reserva de lugar para quem tem deficiência ou mobilidade reduzida e programação em braile e em meio digital permitem que espectadores com deficiência visual ou auditiva também exerçam o direito à cultura. No Brasil, somente as peças do “Os Inclusos e os Sisos” contam com todos estes recursos. Além disso, o grupo nunca realiza peças onde não há acessibilidade física total. “É preciso sensibilizar toda a sociedade, incluindo a classe artística e o poder público, para que sejam incorporadas práticas inclusivas, previstas na legislação, na área de cultura. A campanha não tem o objetivo de garantir apenas que pessoas com deficiência estejam nas plateias, mas que elas possam fruir e participar das produções com total dignidade”, defende Claudia Werneck, jornalista e fundadora da Escola de Gente.

O projeto de lei que instituiu o Dia Nacional do Teatro Acessível (PLC 124/2014) está pronto para ser votado pelo plenário do Senado Federal. Ele já foi aprovado na Câmara dos Deputados, onde contou com a autoria do parlamentar Jean Wyllys (PSOL/RJ) e assinaturas de Jandira Feghalli (PCdoB/RJ), Mara Gabrilli (PSDB/SP) e Rosinha de Adefal (ex-deputada do PTB/AL). A campanha pelo teatro acessível, feita pela Escola de Gente, tem o apoio de artistas como Tatá Werneck, Bel Kutner, Tiago Abravanel e Diogo Vilela.

Fonte: Catraca Livre


Responses

  1. Dia desses vi a notícia do protesto de surdos pedindo mais filmes legendados no cinema e me perguntei se não valeria a pena também focar na necessidade de filmes com audiodescrição pra cegos e deficientes visuais. Muito bom saber agora que já existe a iniciativa pros teatros

    • A audiodescrição já está mais avançada do que a questão da acessibilidade para surdos. Apesar de colocar legendas seja teoricamente muito mais fácil, praticamente não existem filmes nacionais legendados nos cinemas.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: