Publicado por: Ricardo Shimosakai | 27/09/2016

Aventura Adaptada. Turismo de Aventura Acessível.


aventura-adaptada-descobrindo-a-emocao-de-aventurar-se-com-acessibilidadeAventura Adaptada. Descobrindo a emoção de aventurar-se com acessibilidade.

Por Ricardo Shimosakai

A proposta do turismo acessível é proporcionar meios para que qualquer pessoa, independente da sua condição, consiga realizar as atividades turísticas, sem que haja o enfrentamento de barreiras. É importante que a acessibilidade possa ser autônoma, ou seja, que não seja necessário o auxílio de terceiros. Porém, em alguns casos isso não é possível, seja por questões de segurança, da própria condição do turista, ou de outros fatores que acabam dificultando uma acessibilidade perfeita. O importante, é estar sempre livre de preconceitos, para que se possa buscar com mais facilidade, alguma alternativa. Dentre os segmentos que mais cresceram, o ecoturismo, turismo de aventura e o turismo esportivo merecem destaque.

O esporte assim como a aventura são compostos de desafios. No esporte e paradesporto, geralmente você tem adversários, e na aventura o adversário pode ser você mesmo ou uma situação. Ambas as atividades tem sempre a questão da superação envolvida. Forçados a conquistar a vitória ou um objetivo, os praticantes de esportes ou aventuras, acabam incorporando uma certa filosofia, uma maneira de pensar e agir, onde apesar das dificuldades, farão o possível para conseguir alcançar o melhor resultado.

Essas práticas acabam beneficiando o praticante em sua vida no geral, com um valor ainda maior para pessoas com deficiência. Afinal elas encontram dificuldades a todo o momento, e se não tiverem força de vontade para superá-las, podem acabar morrendo na praia da ociosidade, ou até mesmo se afogar na depressão. Degraus, falta de comunicação adequada, espaços estreitos, discriminações, entre outros fatores, acabam atuando como adversários em nossas vidas, e é preciso vencê-las para conquistar nossos objetivos em qualquer área de nossa vida.

Exploração do Abismo de Anhumas em Bonito, Mato Grosso do SulExploração do Abismo de Anhumas em Bonito, Mato Grosso do Sul

Por isso, é comum ver atletas que vivem de forma independente e feliz. A parte do exercício físico, onde se trabalha a força e o equilíbrio é ótimo ao nosso corpo. Mas também é trabalhado o raciocínio e o reflexo, para criar estratégias para vencer o jogo. Além disso, as competições são uma ótima forma de socialização, pois na maioria dos casos, os adversários ficam somente dentro das quadras, piscinas e pistas, pois fora delas eles podem ser seus grandes amigos. É claro que essa maneira de pensar, serve para qualquer pessoa, mas acaba tendo um valor ainda maior quando se trata de pessoas com deficiência ou algum tipo de necessidade específica.

O turismo de aventura acaba tendo um resultado satisfatório maior do que outros tipos de turismo em locais urbanos e culturais. Isto porque, como dito anteriormente, esse tipo de atividade envolve desafios, e em lugares geralmente rústicos e de natureza. Então a pessoa com deficiência que faz essa opção, sabe antecipadamente que não irá encontrar a acessibilidade da forma como é descrita nas normas, até porque, não existem normas de acessibilidade em ambientes naturais. E também não irá encontrar um local tão limpo e asseado quanto se espera de um hotel, museu ou outro estabelecimento urbano. Claro não se espera sujeira, mas provavelmente irá encontrar poeira, areia, folhas e outros elementos naturais.

Nesses casos, a acessibilidade, ou as condições para que seja possível realizar a atividade, são proporcionadas por equipamentos específicos, como por exemplo, uma espécie de assento individual, colocado no bote de rafting, para dar estabilidade a uma pessoa sem muitas forças ou equilíbrio, como um tetraplégico. Outro grande fator para o sucesso, é a capacitação dos profissionais envolvidos. Cabe ao instrutor de mergulho, por exemplo, fazer uma descrição detalhada dos equipamentos, métodos e situações, para que haja uma compreensão total da parte de uma pessoa com deficiência visual, para que tudo ocorra de forma segura e confortável.

rapel-negativo-no-canion-iguacu-em-foz-do-iguacu-paranaRapel negativo no Cânion Iguaçu em Foz do Iguaçu, Paraná

Um segmento novo do turismo que vem se fortalecendo é o turismo esportivo. São propostas de viagem, para pessoas que querem praticar esportes ou assistir a jogos e torneios. Há grupos que se formam, para participar da Corrida Internacional de São Silvestre ou da Maratona de Nova York, onde também competem pessoas com deficiência. Outra variação, são as provas de ciclismo, como a tradicional Prova Ciclística 9 de Julho que acontece em São Paulo, ou a famosa Tour de France, onde há Handbikes, bicicletas pedaladas com as mãos, utilizadas por pessoas com deficiência física, ou as bicicletas Tandem, com dois lugares onde, onde um vidente vai na frente pedalando e guiando, e a pessoa com deficiência visual vai atrás, também pedalando. E para não deixar de fora pessoas que buscam algo mais suave, a World Bike Tour, que pode ser descrita como um grande passeio ciclístico para toda a família, na qual os participantes ganham uma bicicleta, handbike ou tandem, e acontece anualmente em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Lisboa, Porto e Madri.

Campeonatos e torneios também atraem muitas pessoas a viajar. Há quem não meça esforços para acompanhar a Seleção Brasileira de Futebol numa Copa do Mundo, ou seu time de coração em jogos da Copa Libertadores da América, ou até mesmo em campeonatos nacionais ou regionais. Muitos também, consideram eventos esportivos, como um atrativo a mais para conhecer o destino, o que deve acontecer com o Brasil na época das Olimpíadas e Paralimpíadas, principalmente com a cidade do Rio de Janeiro. Muitos estádios possuem acessibilidade para cadeira de rodas, e alguns até fornecem recursos da audiodescrição para cegos. No Brasil existem até duas torcidas organizadas formadas por pessoas com deficiência, como a Eficigalo do Atlético Mineiro e a Defiel do Corinthians.

descida-de-rapel-positivo-no-campamento-tlachtli-em-san-luis-potosi-mexicoDescida de rapel positivo no Campamento Tlachtli em San Luis Potosi, México

Qualquer pessoa pode participar de qualquer tipo de atividade de aventura, sempre há alguma adaptação que possa ser feita, basta procurar informação a respeito, pois muitas vezes alguma solução já foi colocada em prática, ou também podemos colocar nossa criatividade e experiência em prática, aperfeiçoando ou inventando novas alternativas.

Podemos tomar o mergulho como referência, de uma prática de aventura possível de ser feita por qualquer tipo de pessoa. No geral, a diferença do mergulho adaptado para o convencional, não está nos equipamentos, mas na forma como utilizá-los e na experiência do instrutor. Pesos e técnicas de respiração, são utilizadas para regular a posição de um mergulhador que não consegue movimentar as pernas, ou mesmo um amputado. Surdos que se comunicam através da língua de sinais até levam vantagem, afinal podem conversar com mais liberdade debaixo d’água. Uma solução criativa para cegos, é utilizar mascaras chamadas full-face, que cobrem o rosto inteiro, em conjunto com microfones e fones sem fio, é possível se comunicar, coisa que seria difícil sem essa adaptação, pois a comunicação é totalmente visual através de gestos.

esqui-na-neve-na-pista-de-cerro-catedral-em-bariloche-argentinaEsqui na Neve na pista de Cerro Catedral em Bariloche, Argentina

A partir dai, você já deve ter quebrado a barreira do preconceito, e conseguir imaginar usuários de cadeira de rodas praticando Stand-up Paddle na Represa de Guarapiranga, amputados surfando nas pipelines do Havaí, idosos escalando o Everest no Himalaia, pessoas com Paralisia Cerebral completando as exaustivas provas de Iron Man e jovens com Síndrome de Down esquiando na neve em Cerro Catedral na Argentina.

Alguns destinos acabam tendo destaque, e quando conseguem trabalhar em sintonia, atendendo esse nicho de público, transformando o que era um motivo de depreciação do local ou serviço, em uma vantagem competitiva.

O turismo é uma cadeia produtiva, onde diversas empresas que oferecem hospedagem, transportes, alimentação, informação, atendimento entre outros itens, trabalham fazem sua parte para atender ao turista. É claro que essas empresas, tem obrigações para tornar o turismo acessível. Da parte do turista com deficiência, apesar de não ser uma obrigação, é importante informar aos locais e serviços turísticos, as suas necessidades, pois a acessibilidade não está presente em tudo, e mesmo que seja possível, muitas vezes é necessário uma preparação prévia. Apontar falhas, cobrar melhorias, buscar profissionais experientes e participar, acaba mostrando aos empresários, de que este é um segmento ativo, e que por isso vale a pena realizar melhoras e investir, para que as barreiras e superações, fiquem relacionadas somente às atividades que necessitam desses ingredientes para se fazerem emocionantes.

tirolesa-do-panico-no-parque-dos-sonhos-em-socorro-sao-pauloTirolesa do Pânico no Parque dos Sonhos em Socorro, São Paulo

Para ter acesso ao conteúdo completo, acesse o link do site Aventura Adaptada, ou também a Aventura Adaptada – Versão Digital

Ricardo Shimosakai é CEO da Turismo Adaptado, Bacharel em Turismo pela Universidade Anhembi Morumbi/ Laureate International Universities, trabalha desde 2004 com acessibilidade e inclusão no lazer e turismo. Membro da SATH (Society for Accessible Travel and Hospitality), ENAT (European Network for Accessible Tourism) e CIDCCA (Consejo Iberoamericano de Diseño, Ciudad y Construcción Accessible). Palestrante internacional e docente em cursos de Pós Graduação e MBA da Escola Roberto Miranda de Educação Corporativa.

Fonte: Aventura Adaptada


Responses

  1. […] via Aventura Adaptada. Turismo de Aventura Acessível. — TURISMO ADAPTADO […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: